images

Os participantes do IV Colóquio Internacional de Povos e Comunidades Tradicionais, reunidos em Montes Claros nos dias 30 de agosto a 1o. de setembro de 2016, vêm a público manifestar o seu veemente repúdio ao patrocínio da FIEMG – Federação das Indústrias de Minas Gerais à CONFERÊNCIA INTERNACIONAL SUL-AMERICANA TERRITORIALIDADES E HUMANIDADES, que será realizada na UFMG no período de 4 a 7 de outubro de 2016, sob os auspícios do Conselho Internacional de Filosofia e Ciências Humanas (CIPSH) e da UNESCO.

Sob o pretexto de “refundar as ciências humanas, retomando o seu lugar na sociedade contemporânea e aprofundar a dimensão transdisciplinar da pesquisa, em face das necessidades da humanidade no século XXI”, o referido evento estabelece uma aliança explícita com interesses do grande capital, através da FIEMG, instituição que tem participado ativamente em casos de violações dos direitos humanos mais fundamentais de comunidades tradicionais e locais atingidas por obras de grande porte, tais como mineração, minerodutos, hidrelétricas dentre outras.

Cabe ressaltar que representantes da FIEMG têm assento no Conselho de Política Ambiental (COPAM) e têm articulado a aprovação de licenças de grandes obras sem o devido cumprimento de condicionantes socioambientais. Mais do que isso, tratam de forma desrespeitosa e intimidam as comunidades e pesquisadores comprometidos, cujos trabalhos e testemunhos afrontam seus interesses, conforme ampla produção acadêmica e denúncias já formalizadas em instâncias como a Comissão

Interamericana de Direitos Humanos e o Vaticano.

O apoio da FIEMG ao evento representa um ultraje e uma usurpação não somente das comunidades e territórios violados e de suas lutas, mas do próprio fazer acadêmico comprometido com a construção de uma sociedade justa, igualitária e diversa. Somos terminantemente contra uma universidade que acolha eventos mascarados de humanidades que visam promover, de fato, interesses macroeconômicos, reproduzindo desigualdades e injustiças historicamente engendradas na sociedade brasileira.

0
Tags: No tags

Leave a Comment